RESPONSABILIDADE SOCIAL

     O avanço do mercado de tecnologia traz um efeito colateral: o acúmulo de lixo eletrônico. O número de equipamentos novos lançados no mercado corresponde ao de equipamentos descartados.

     De acordo com pesquisas recentes, 50 milhões de toneladas de lixo eletrônico são descartadas por ano, em todo o mundo.

     Segundo dados da Basel Action Network (BAN), organização que fiscaliza o fluxo de lixo tóxico, oito em cada dez computadores velhos dos Estados Unidos são exportados a baixo custo para países asiáticos   

     As poucas iniciativas existentes não são divulgadas de forma adequada.

     Equipamentos eletrônicos tais como computadores, monitores e TVs contém substâncias tóxicas, nocivas à saúde, como chumbo, mercúrio e cádmio.

     O reuso é uma boa opção, porque não há gasto de energia para “refabricar“ os equipamentos. Na separação, o lixo eletrônico tem que ser desmontado em primeira etapa, antes de ser jogado fora. Em seguida, tem que haver uma separação dos equipamentos sem risco de contaminação, através de uma desmontagem manual que necessita da mão-de-obra humana.

     Hoje, somente entre 10% e 15% de todo o lixo eletrônico produzido no mundo são destinados à reciclagem, o que inclui o reaproveitamento de peças e componentes eletrônicos. Não há como caminhar no sentido inverso da sustentabilidade. Para evitar a escassez dos recursos e atender às necessidades das próximas gerações, são necessárias políticas de inclusão digital, educação ambiental e uma mobilização da sociedade para o bem-estar de todos.